A Vontade humana e a Misericórdia divina

“A vontade deve buscar ou desejar nada mais do que a misericórdia de Deus no Cristo; deve entrar continuamente no amor de Deus e não permitir que nada a afaste deste objetivo. Se a razão externa triunfa e diz ‘eu tenho o verdadeiro conhecimento’, então, a vontade deve fazer a razão carnal curvar-se à terra fazendo com que entre em um estado mais elevado de humildade, e que repita sempre para si mesma as palavras: ‘És tola. Tu nada possuis senão a misericórdia de Deus’. Tenta penetrar nessa misericórdia e se tornar um nada em si mesmo. Afasta-te de todo o teu próprio conhecimento e desejo egoísta reconhecendo-os como algo inteiramente impotente. Então, a vontade própria natural irá entrar em um estado de abandono, e o Espírito Santo de Deus irá tomar uma forma viva dentro de ti, inflamando tua alma com suas chamas de Amor Divino. Assim, o conhecimento elevado e a ciência do Centro de todo ser irá surgir. O eu-humano irá começar a perceber o Espírito de Deus, tremulamente e na alegria da humildade, e será capaz de ver o que está contido no tempo e na eternidade. Tudo está perto de uma alma nesse estado, pois a alma não é mais propriedade sua, mas um instrumento de Deus. Em tal estado de calmaria e de humildade a alma deve permanecer, como uma fonte permanece em sua própria origem; ela deve, sem cessar, atrair e beber daquele poço, e nunca mais desejar deixar o caminho de Deus”.